plantão filosófico
Jornal de Filosofia
Pesquisa

O conceito de naturalismo e arte grega
Por Leliane Caetano da Silva (Leitora do Jornal), em 2017/08/21386 leram | 0 comentários | 18 gostam
conceito de naturalismo e suas variações e também a arte grega e suas características.
Conceito de Naturalismo: Harold Osborne define naturalismo como a ambição de colocar diante do observador uma semelhança convincente da aparência real das coisas. Na obra de arte, espera-se do artista a habilidade de fazer a representação parecer com a realidade.
  Há duas variações dentro do naturalismo, o realismo que mostra o mundo como ele realmente é, nem melhorando-o, nem piorando-o, está mais presente na arte renascentista do século XV.
 O idealismo: mostra o o mundo idealizando-o, melhorando e aperfeiçoando a realidade para deixa-la como gostaríamos que fosse, deixando de retratar a realidade, esta presente como principal característica da arte grega.

 A arte grega: não representa a realidade, até mesmo as pessoas eram idealizadas, eles criaram a teoria das proporções do corpo humano, que era usada em todas as representações, fosse ela uma pintura ou uma escultura. O rosto era dividido em 3 partes, o primeiro terço é a testa, o segundo são os olhos e o nariz e o terceiro são a boca e o queixo.
 O naturalismo foi predominante na arte ocidental por muitos séculos, com exceção do período medieval. Após a idade média, com o rompimento do naturalismo, no século XIX os impressionistas passaram a priorizar a variação da luz e não os objetos representados, essa mudança se da ao surgimento da máquina fotográfica, que fixava as imagens do mundo de forma rápida e econômica, assim os artistas começaram a repensar a função da arte e o espaço da pintura.

Texto escrito por: Leliane Caetano da Silva e Thiago Leonardo Farinon.

Mais Imagens:

Comentários

Escreva o seu Comentário