Na Onda
Jornal da Escola Secundária da Boa Nova, Leça da P
Pesquisa

ALERTA CHUMBO!
Por Biblioteca António Nobre (Administrador do Jornal), em 2018/01/11327 leram | 2 comentários | 47 gostam
Sabia que....? Eis um artigo científico realizado por quatro alunos do 12ºano

Aquele que para a indústria pode ser considerado um dos mais valiosos metais, perde a sua fama quando o tema de conversa é a saúde humana, revestindo-se de extrema importância o seu afastamento do ser humano.
De acordo com descobertas arqueológicas feitas no Egito, o chumbo foi um dos primeiros metais a ser trabalhado pelo Homem, sendo conhecido desde 3500 a.C.
Este metal é um dos mais utilizados na indústria, sendo a sua principal aplicação no fabrico de baterias elétricas para veículos automóveis. No entanto, não se fica por aqui, sendo importante salientar que vários produtos comuns, encontrados em casa, podem conter chumbo na sua composição. São exemplos destes últimos, algumas tintas, vernizes, bebidas alcoólicas, alimentos industrializados e tintas para cabelo.
O chumbo não apresenta nenhuma função essencial conhecida no corpo humano, razão pela qual é extremamente perigoso quando absorvido pelo organismo, sendo que, depois de absorvido, este metal pode causar diversos efeitos no corpo humano. Estes últimos passam pela perturbação da biossíntese da hemoglobina e, consequentemente, anemia, pelo aumento da pressão sanguínea e danos nos rins, abortos, no caso da mulher, e diminuição da fertilidade, no homem, através de danos no esperma. O chumbo pode ainda atingir o feto através da placenta da mãe, podendo causar danos muito graves no sistema nervoso e cérebro da criança.
De acordo com estudos feitos, a utilização de tintas capilares provoca os mesmos efeitos negativos para a saúde que o chumbo, dado que se verifica a absorção, por meio da pele do couro cabeludo, de acetato de chumbo (derivado do chumbo) contido na tinta. Na Europa, o acetato de chumbo está na lista de substâncias banidas de produtos de tintas capilares. Ainda assim, são muitos os produtos desta natureza que ainda contêm vestígios de chumbo na sua composição e, como tal, continuarão a provocar efeitos negativos na saúde de quem as usa, sendo por isso de grande importância, a utilização consciente destas tintas, bem como a leitura dos respetivos rótulos.
O mesmo se passa com algumas das tintas que, diariamente, são utilizadas na pintura de casas, edifícios, entre outras construções. À semelhança das tintas para cabelo, também estas apresentam na sua composição derivados de chumbo, constituindo, por esse motivo, um perigo para aqueles que com elas têm contacto direto ou indireto. Este contacto poderá acarretar graves problemas no sistema nervoso, tanto para adultos como para crianças. No primeiro caso, verificam-se lesões inflamatórias ou degenerativas dos nervos, das quais poderá decorrer paralisia. No caso das crianças, o “metal maligno” é responsável por danos e mau funcionamento do cérebro, que pode apresentar um espetro amplo de sintomas que vão desde a perda de memória ou mudanças subtis de personalidade, até casos mais graves como convulsões, estado de coma ou mesmo a morte.
Sofia Lourenço, Juliana Teixeira, Rafael Barbosa e Tiago Queiroz
Alunos de Química do 12.º B


Comentários
Por Maria Costa (Professora), em 2018/01/11
Muito interessante e enriquecedor! Parabéns!
Por Cristina Bessa (Professora), em 2018/01/12
Parabéns!
Gostei muito

Escreva o seu Comentário